Membros do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente estiveram reunidos com representantes UNIFAE, dia 27 de fevereiro, na Fábrica Escola de Engenharia Química, para ajustar os últimos detalhes do Projeto Fábrica Escola Itinerante, que foi contemplado com R$ 112 mil pela Elektro. Ele vai levar os programas desenvolvidos na Instituição às escolas de ensino médio de São João da Boa Vista.

 

A verba faz parte do fundo de Direitos da Criança e do Adolescente, estabelecido pela Estatuto da Criança e do Adolescente, que é mantido por doações de dedução do imposto de renda. Pessoas físicas e jurídicas podem contribuir e realizar a doação, obedecendo alguns limites: 1% do imposto sobre a renda apurado pelas pessoas jurídicas tributadas com base no lucro real; 6% do imposto sobre a renda apurado pelas pessoas físicas na Declaração de Ajuste Anual.

 

 

“A Elektro abriu um edital a procura de empresas, escolas ou instituição que desenvolvam projetos sustentáveis. Felizmente fomos comtemplados com essa contribuição, que vai servir como trampolim para os anseios da UNIFAE, de levar conhecimento a todos os níveis de educação”, explicou o coordenador do curso de Engenharia Química, Prof. Me. Marcus Alvarenga.

 

 

ENVOLVIMENTO DOS ALUNOS DE GRADUAÇÃO – Para o aluno do nono semestre de Engenharia Química, Jardel da Cruz, que também contribui no funcionamento da Fábrica Escola, é uma importante oportunidade de aproximar os universitários com outros níveis de educação. “Durante as atividades do UNIFAE Itinerante nós, além de ensinar os estudantes, podemos ajudá-los a escolher o futuro que querem seguir. Isso é muito bom”, disse.

 

 

  CONTRIBUIÇÃO AMBIENTAL – O Projeto da UNIFAE, além de contribuir com o ensino, também contribui com o meio ambiente, reutilizando materiais que provocam danos ambientais, como o óleo de cozinha usado. Um litro descartado incorretamente, por exemplo, pode poluir um milhão de litros de água.