COORDENADOR DA MISSÃO UNIVIDA VISITA UNIFAE

  A UNIFAE, que é uma das dez Instituições de Ensino selecionadas a participar da Missão Univida 2018, recebeu o Padre Eduardo Lima, idealizador e coordenador do projeto humanitário. A visita ocorreu nesta segunda-feira (14), quando realizou uma reunião com os estudantes que participarão da ação filantrópica.

 

  Em 2017, a UNIFAE enviou 15 alunos. Este ano serão 43 representantes idealizando atividades de fim humanístico com moradores da Reserva Indígena de Dourados, no Mato Grosso do Sul, entre os dias 6 e 13 de julho.

 

  “O crescimento na quantidade de participantes mostra que os atos desenvolvidos ano passado foram um sucesso. Percebemos que, cada vez mais, os alunos vão tomando consciência da importância e se empolgando em colaborar”, disse o Pe. Eduardo.

 

  Ao todo, 270 universitários de dez Universidades estarão na Reserva desenvolvendo ações com a finalidade de contribuir com a saúde e qualidade de vida dos moradores daquela região.  Além disso, graduandos destas faculdades estão se mobilizando para arrecadar donativos, que serão destinados àqueles habitantes.

 

  “A Missão não visa realizar ações simplesmente assistencialistas, mas sim um processo de humanização. Porém, como lá a fome é gritante, nós não temos outra alternativa a não ser ajudar e fazer com que eles sejam acolhidos por meio do alimento e tantas outras coisas”, explicou o padre. 

 

  HUMANIZAÇÃO – A Missão vem ao encontro de um dos objetivos da UNIFAE, de contribuir com um ensino humanizado, como explica o Prof. Dr. Francisco Arten. “Estamos proporcionando que nossos alunos conheçam uma realidade totalmente diferente da que a maioria deles vive. Isso vai influencia a vida deles para sempre, pois vão aprender muito durante a Missão”, relatou Arten.

 

  A Univida também tem deixado os discentes com boas expectativas, como conta Kamila Finoti, do quinto semestre de Fisioterapia. “Minha expectativa é aprender mais sobre empatia, a me colocar no lugar do próximo. Profissionalmente isso vai me ajudar muito, ainda mais porque estou na área da saúde. Isso vai me ajudar a não ver o paciente como algo mecânico, mas sim como uma pessoa com sentimentos e que tem uma história de vida”.

 

  ACERTO HISTÓRICO – Leandro Carvalho, do nono semestre de Psicologia, conta que a Missão é uma forma de pagar uma dívida histórica. “Além de propiciar um crescimento pessoal, a Univida tenta, de alguma forma, sanar o déficit deixado com eles no período de colonização. Isso é muito interessante”, destacou.

 

  RESERVA INDÍGENA DE DOURADOS – Criada pelo serviço de Proteção ao Índio, em 1970, através de um Decreto Estadual que delimita os mais de três mil hectares, a reserva indígena de Dourados, no Mato Grosso do Sul, abriga mais de 30 mil índios, 14 mil vivendo em núcleos espalhados pela reserva, e a outra parte em condições precárias, num espaço cercado pelo avanço desordenado da cidade.

Fotos